Nós as pessoas: Carlos Fernandes

Com experiências em Tenerife, San Sebastian e Valência onde trabalhou em dois restaurantes de Martin Berasategui (MB e Lasarte), Carlos Fernandes regressou a Portugal em 2015 para fazer parte da primeira brigada do Loco de Alexandre Silva, em Lisboa. Em 2018 assumiu a chefia da pastelaria do Bela Vista Hotel & Spa, em Portimão. Em 2021, mudou-se para São Miguel, Açores, e atualmente faz parte da equipa do Azor HotelRecentemente foi distinguido com o Prémio Especial Chefe de Pastelaria de 2021, nos prémios Mesa Marcada.

Qual a melhor forma de aliviar o stress após uma semana de trabalho? 

Mergulhar! Algo que fazia com muita regularidade quando vivia em Tenerife e que quero voltar a fazer agora que vivo nos Açores. Tento sempre que as minhas folgas sejam um momento muito meu, gosto de ficar na preguiça se me apetecer, ou até mesmo ter um almoço daqueles que começam fora de horas, seja sozinho ou rodeado de amigos. Acima de tudo, aproveitar bem todo o tempo, da forma que o corpo e a cabeça pedem no dia. 

O que fazes para descontrair e motivar a tua equipa? 

Quem trabalha comigo sabe que sou extremamente exigente. Mas isso não significa que não goste de um bom ambiente e de trabalhar alegremente, tento que haja sempre essa leveza no ar. É uma tarefa difícil de cumprir e com a qual me debato todos os dias, não vou mentir. Cada pessoa precisa de diferentes estímulos para se sentir motivada e é preciso haver um esforço grande em conhecer as pessoas com quem trabalhamos e adaptarmos as estratégias de motivação, sem nunca perder o foco na qualidade do trabalho. É todo um número de equilibrismo, mas espero conseguir fazer ainda mais e melhor pelas minhas equipas no futuro. Até porque o processo de aprendizagem é contínuo, mesmo nos cargos de chefia. 

Qual o teu guilty pleasure gastronómico depois de um serviço desafiante? 

Regra geral, os serviços mais desafiantes são aos jantares. Já o dia vai longo e quando terminas o serviço ainda tens de ter energia para fazer toda a limpeza (e eu sou obcecado com limpeza, por isso comigo a limpeza é de alto a baixo diariamente). No final, estou sempre com fome e com desejos de sal. Então qualquer coisa que possa comer, desde uma tosta mista a um pedaço de carne que possa ter sobrado, não digo que não! De preferência, com toda a equipa reunida e com uma boa conversa pelo meio. 

Edições do Gosto

Newsletter EG

Faça parte da comunidade gastronómica.

Junte-se à Comunidade Gastronómica EG

* obrigatorio