Final Nacional CCA 2022

O concurso Chefe Cozinheiro do Ano 2022, o maior e mais importante concurso de cozinha para profissionais em Portugal, anunciou a data e local da Final Nacional, a derradeira prova de onde sairá o Chefe Cozinheiro do Ano 2022, desta que é a 33ª edição do concurso. 

A prova vai decorrer no dia 29 de junho, na Feira Internacional de Artesanato, na FIL em Lisboa e será de livre acesso a todos os que pretenderem acompanhar o concurso ao vivo. A prova tem início marcado para as 12h00 e decorre no Pavilhão 3

São 6 os finalistas que vão estar a preparar o seu menu durante 4 horas e meia: 

Ana Magalhães do SixSenses Douro Valley, em Lamego 
Fábio Santos do Restaurante Landeira, em Tomar 
Helena Castro do Antiqvvm, no Porto 
Manuel Pires do Santa Maria Petisca Ria, em Faro 
Nuno Dinis Ferreira do Bairro Alto Hotel, em Lisboa 
Pedro Larcher do Atelier Henrique Sá Pessoa, em Lisboa 

Além do título de Chefe Cozinheiro do Ano 2022, atribuído ao concorrente que obtiver maior pontuação na Final Nacional, serão também atribuídas as distinções Helmut Ziebell, designado ao prato e concorrente que reúna consenso no júri pela sua criatividade, o prémio Virgílio Nogueiro Gomes, atribuído ao prato que revele com maior evidência a evolução da Cozinha Portuguesa e o Prémio Sustentabilidade Makro, atribuído ao concorrente que revele maior atenção e compromisso com práticas de sustentabilidade durante a sua prova.  


Serão valorizados temas como a separação de resíduos, aproveitamento de recursos e minimização de desperdício alimentar. 

Paralelamente à prova, decorre no mesmo espaço, o Fórum Pensar Cozinha, com vários chefes de cozinha e proprietários de restaurantes como convidados. O tema deste ano é Artesanato Culinário

A entrega de prémios do concurso está marcada para as 18h30, no mesmo espaço. 

Os menus a concurso 

Na Final Nacional os concorrentes irão cozinhar e apresentar o seu menu ao júri e que, segundo o regulamento do concurso, “deverá defender e preservar as raízes da gastronomia tradicional portuguesa, os produtos e matérias-primas de origem nacional”. O regulamento considerou obrigatório que a entrada fosse inspirada em produtos de mar, o prato de peixe com utilização obrigatória do bacalhau da Noruega como proteína principal e o prato de carne deveria enquadrar-se na categoria de prato tradicional de tabuleiro. A sobremesa não tinha nenhuma obrigatoriedade, sendo assim um convite à criatividade dos concorrentes. 

Ana Magalhães 

Entrada – Escabeche de cavala com amêndoa e ervas  
Prato de Peixe – Grão-de-bico com línguas de bacalhau 
Prato de Carne – Cabrito assado com arroz de miúdos  
Sobremesa – Leite creme de alfazema, chocolate, mel e limão 

Fábio Santos  
Entrada – Carabineiro, cremoso de Alcácer e ostra do Sado 
Prato de Peixe – Bacalhau confitado com massada de línguas e sames  
Prato de Carne – Cabrito assado à Ribatejana, esmagada de batata de rebolão e esparregado de grelos 
Sobremesa – Torta de laranja, queijo chévre da Maçussa e amêndoa  

Helena Castro 
Entrada – Ostra, funcho e vitela 
Prato de Peixe – Bacalhau, fígado de bacalhau fumado e alho-francês 
Prato de Carne – Pernil de porco, arroz e enchidos 
Sobremesa – Broa de Avintes e amêndoa 

Manuel Pires 
Entrada – Biqueirão, ostra e gamba da costa 
Prato de Peixe – Bacalhau, línguas e chícharos 
Prato de Carne – Coelho bravo, feijoca e segurelha 
Sobremesa – Melosa, figueira e laranja 

Nuno Dinis Ferreira 
Entrada – Pargo, bivalves e algas 
Prato de Peixe – Bacalhau, bochecha e nabiças 
Prato de Carne – Pá de borrego, miudezas e feijocas 
Sobremesa – Pêra, requeijão e tomilho 
 

Pedro Larcher 
Entrada – Ostras, textura de pepino e soja 
Prato de Peixe – Lombo de bacalhau, esmagada de bacalhau e salsa 
Prato de Carne – Vitela à moda de Lafões 
Sobremesa – Pêssego, lúcia-lima e chocolate branco 

 O Júri 

A acompanhar a prova e na avaliação estarão chefes de cozinha, de elevado reconhecimento e mérito profissional como Alexandre Silva (Restaurantes Loco e Fogo), António Bóia (Restaurante JNCQUOI), António Loureiro (Restaurante A Cozinha e CCA 2014), Louis Anjos (Restaurante Al Sud e CCA 2012), Paulo Pinto (Secretário-geral da ACPP). Como júri observador, estará presente Hugo Alves, do Restaurante Norma e CCA 2021. 
 

Os prémios 

De recordar que esta competição já distinguiu figuras de renome no panorama gastronómico nacional como Henrique Sá Pessoa (CCA 2005), João Rodrigues (CCA 2007), António Loureiro (CCA 2014) e Luís Gaspar (CCA 2017). Em 2022 o concurso cumpre a sua 33ª edição e estão a concurso: um prémio monetário Makro no valor de 1.000€, 1 cheque produto Makro no valor de 1.000€ e uma máquina de vácuo e selar GVS1040 Makro Professional para o vencedor do Prémio Sustentabilidade Makro, um cheque em produtos e serviços NX Hotelaria no valor de 6.500€, uma viagem à Noruega para os 3 primeiros lugares, 66kg de arroz Bom Sucesso e um jantar no restaurante Fogo, uma viagem à Alemanha para os 6 finalistas, um kit de loiças Costaverde, um conjunto de facas ICEL e uma jaleca Prochef. 

Os Patrocinadores 

O concurso Chefe Cozinheiro do Ano 202 tem como Patrocinadores Principais Makro, Bacalhau da Noruega, NX Hotelaria, ICEL e Estrella Damm. Os Patrocinadores são Bom Sucesso, LAVA, Costaverde e Esporão. Os Parceiros são a SARA – HACCP Digital, Prochef, Alug’Aqui, Rational e Bonduelle Food Service. Conta com o Apoio das Escolas do Turismo de Portugal, ACPP, Chaîne des Rotisseurs e Rede-T. Tem a organização da INTER Magazine e das Edições do Gosto.  

Chefe Cozinheiro do Ano