Profissional Do Futuro: Davide Cunha

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Hoje em dia tem se dado cada vez mais importância ao trabalho dos pasteleiros e da pastelaria, o que é um grande passo. 

Falámos com Davide Cunha, o vencedor da categoria Pastelaria NX Hotelaria do concurso Jovem Talento da Gastronomia 2020. Em entrevista, o pasteleiro da Confeitaria Nacional aborda o futuro da profissão em Portugal e o que o fez ganhar encanto por esta área. 

Qual a relevância da formação para um profissional da área de Hotelaria? O que te fez apaixonar pelo curso? 
 

A formação na área da hotelaria é algo fundamental, tal como nas outras áreas. Aprender técnicas, métodos de trabalho, formação intelectual e conhecimento das diferentes áreas de intervenção é de elevada importância pois ajudam-nos no momento da entrada no mercado de trabalho e no sucesso do nosso percurso profissional. 

O que me fez apaixonar pelo curso que tirei (Produção Alimentar em Restauração), foi o facto de ser uma formação completa em diferentes áreas, que envolve a gestão e organização, a produção e a confeção alimentar, a higiene e a segurança alimentar, a gastronomia e a nutrição. É um curso muito versátil, porque se adapta às diferentes áreas da hotelaria e restauração, pois tudo depende da área em que o aluno se dedique mais. Tenho uma forte paixão pela pastelaria, logo no decorrer do curso, estágios e exercício profissional dediquei-me mais a esta área. 

Qual é o teu objetivo a nível profissional? 
 

Para trabalhar nesta área é preciso ter-se gosto por aquilo que se faz, é preciso ter o “bichinho da pastelaria”, pois dedicamos muitas horas do nosso tempo, não só na execução, mas também em investigação, na procura e no desenvolvimento. O maior prazer de um pasteleiro é sentir-se realizado, ver que o cliente gostou das nossas criações e que ficou mais que satisfeito, superando as suas expetativas. 

A pastelaria é algo que pretendo continuar a seguir no meu percurso profissional, de dia para dia tento dar o meu melhor, a fim de conseguir melhorar a minha técnica e os conhecimentos que já adquiri. Procuro ainda dar ouvidos aos outros, ler e investigar muito sobre a área com o objetivo de aprender sempre cada vez mais, para um dia talvez quem saiba, poder chefiar uma verdadeira brigada de pasteleiros. 
 

Como olhas para o mundo da pastelaria e a sua evolução? 
 

Os pasteleiros sempre trabalharam na sombra dos grandes chefes de cozinha, ficando um pouco escondidos por estes. Hoje em dia tem-se dado cada vez mais importância ao trabalho dos pasteleiros e da pastelaria, o que é um grande passo. Em alguns países, o público em geral já conhece o chefe de pastelaria só pelos locais onde trabalham. Espero que isto também venha a acontecer em Portugal. 

Penso que a pastelaria vai evoluir no bom sentido, defendendo que cada vez mais devemos utilizar matérias-primas de raiz, produtos locais, respeitando as temporadas/épocas de cada produto e apostar cada vez mais não só no visual, mas também nas qualidades sensoriais dos produtos finais, nomeadamente nas qualidades gustativas. 

Considero que devemos banir cada vez mais os produtos processados industrialmente, como os baldinhos, os mixes de saco, as margarinas, os corantes e outros aditivos que se utilizam frequentemente e em grande número nos locais de produção. Estes produtos além de prejudiciais para a nossa saúde, fazem com que o paladar dos consumidores seja padronizado, sendo que os produtos sejam iguais de estabelecimento para estabelecimento, fazendo com que o consumidor rejeite os produtos confecionamos de raiz, deixando os consumidores e os pasteleiros nas mãos dos industriais fazendo com que estes dominem totalmente o mercado da pastelaria. 

Cada vez mais surgem problemas como as alergias e restrições alimentares, sendo um mercado em forte crescimento, é uma boa aposta no desenvolvimento de novos produtos de pastelaria, sendo que lá fora já vão surgindo alguns chefes de pastelaria que têm trabalhado e apostado nesta vertente da pastelaria. 

Que conselho darias a quem esteja agora a frequentar um curso na área da Hotelaria e Restauração? 
 

Como ex-aluno da Escola Superior de Hotelaria do Estoril, aconselho os alunos das diferentes escolas de hotelaria e restauração, a seguirem os seus objetivos, a sonharem e a trabalharem muito, dando o seu melhor a fim de conseguirem alcançar aquilo que pretendem. 

A formação não termina no momento da entrada no mercado de trabalho, continuem a terem curiosidade na procura do saber mais, não tenham medo de sair do país, façam outras especializações, procurem manter-se informados, a fim de não pararem no tempo e de se manterem em constante evolução.

Edições do Gosto

Newsletter EG

Faça parte da comunidade gastronómica.

Junte-se à Comunidade Gastronómica EG

* obrigatorio