Phenix, a arma contra o desperdício

O desperdício alimentar é um problema real que tem efeitos sobre o mundo em que vivemos. Para ajudar a mitigá-lo, dois empreendedores franceses, Jean Moreau e Baptiste Corval, que tinham como background a área financeira e da banca, tiveram a ideia de criar a app Phenix, a fim de dar uma segunda vida aos excedentes alimentares de restaurantes e supermercados em França. Corria o ano de 2004. A ideia foi tão bem-sucedida que chegou a outros países europeus, como Portugal 
 
Através da app Phenix são conectados todo o tipo de estabelecimentos de comércio local que possam ter algum tipo de desperdício, diretamente com os utilizadores. Todos estes parceiros colocam disponíveis na app os produtos em fim de vida em formato de cabaz, sempre com descontos associados. O cliente compra através da aplicação e levanta nos parceiros, evitando assim o desperdício. Outra vertente do projeto passa pelas doações de alimentos a Instituições Particulares de Solidariedade Social. “A nossa filosofia de atuação passa precisamente pela redução do desperdício, alimentar e não alimentar, querendo atingir o patamar do desperdício zero. A Phenix é a prova viva de que é possível construir uma empresa e fazer negócios combinando o respeito pelo meio ambiente com o crescimento económico, através de um modelo económico inovador”, explica o diretor geral da Phenix em Portugal, Frederico Venâncio, com quem falámos para saber mais sobre este projeto. 
 
Porque é que o tema do desperdício alimentar se tornou ainda mais urgente com o passar dos anos? 

O desperdício alimentar é um problema que traz implicações a todos os níveis: sociais, económicos e ambientais. Por exemplo, segundo dados da Organização para a Alimentação e Agricultura (FAO), se o desperdício alimentar fosse equiparado a um país, seria o 3º maior emissor de CO2 para a atmosfera, ficando apenas atrás dos EUA e da China. Se falarmos de implicações sociais, o desperdício alimentar existente na Europa, seria suficiente para alimentar 200 milhões de pessoas. Ao nível económico, as perdas são gigantes, para empresas, governos e cidadãos: para as empresas que investem na produção e comercialização alimentar, para os governos que financiam programas de incentivo à agricultura, mas que também concedem benefícios a quem combate o desperdício e para os cidadãos, que adquirem os bens alimentares e depois acabam por não os consumir, pelos mais diversos motivos. Estamos a falar de um valor que anualmente chega aos 2 triliões de dólares americanos, segundo a FAO. Como vemos, o desperdício alimentar não é um problema isolado, mas sim uma reação em cadeia, que acaba por afetar vários pontos essenciais da nossa sociedade e vivência. A urgência do tema surgiu em várias fases com o passar dos anos. Talvez de referir que o primeiro momento em que realmente o tema do desperdício alimentar começou a obter mais destaque foi aquando da chegada das aplicações móveis de combate ao desperdício. Acabou por ser um tema que obteve um bom destaque na imprensa. A partir daí começamos a perceber que apesar de todo o desconhecimento que existia por parte da sociedade civil em relação à verdadeira dimensão do problema, a mesma se encontrava bastante aberta e recetiva à ideia de combater e evitar o desperdício.  

Quantas refeições é que os portugueses salvaram do desperdício através da app? 

Conjugando os nossos dois serviços (aplicação móvel e conversão de excedentes em doações) já conseguimos, salvar em Portugal desde 2016, 19 milhões de refeições do desperdício, equivalentes a 21 000 toneladas de emissões de CO2 para a atmosfera. 
 

O mais impressionante é o caminho que estamos a traçar para atingirmos o nosso principal objetivo: ser um Unicórnio. Mas não unicórnio no sentido tradicional por via de uma valorização financeira. Antes porque queremos ser o primeiro unicórnio a impactar positivamente mais de um bilião de pessoas em todos os países onde neste momento conduzimos operações, e nos que mais venhamos a impactar futuramente. 

Tem ideia de quais são os alimentos mais desperdiçados pelos portugueses? 

Podemos afirmar que se encontram alinhados com o desperdício global, calculado pela FAO. Sabemos, por exemplo, que hortícolas, frutícolas, pão, carne ou peixe estão entre alguns dos alimentos mais desperdiçados. Mas para melhor ter uma análise destas informações, estamos a trabalhar internamente com os nossos dados, e a expectativa é que possamos apresentar um estudo detalhado acerca não só do desperdício alimentar, como também dos dados positivos: refeições salvas do desperdício e impacto ambiental e económico positivo. Se queremos manter as pessoas no combate ao desperdício, também precisamos de lhes mostrar a parte positiva dos nossos esforços conjuntos; que as suas ações contam e têm um impacto muito importante neste problema.  
 

Muitos consumidores acabam por desperdiçar por não ter conhecimento das datas limite de consumo e durabilidade mínima, por exemplo. Como tentam educar os consumidores nesse sentido? 

Sensibilização, sensibilização e sensibilização. Na Phenix, a sensibilização é uma parte tão importante como o negócio em si. Se visitarem as nossas redes sociais ou website, irão encontrar, por exemplo, um blog com artigos, dicas, receitas, para que facilmente todos possamos aprender a combater o desperdício alimentar, no nosso dia-a-dia. Poderão também encontrar iniciativas tão diversas como a Phenix Kitchen, a nossa cozinha sem desperdício. Este foi um desafio lançado no último trimestre do ano passado em que, de entre os nossos utilizadores da aplicação e seguidores das redes sociais, escolhemos uma pessoa para se tornar o chefe sem desperdício da Phenix Kitchen. Foi aberto um concurso nas redes sociais em que incentivamos os nossos seguidores a participarem com receitas inovadoras e sem desperdício. As melhores receitas foram colocadas à votação do público e a mais votada foi eleita a grande vencedora. Com este concurso, pretendemos provar que qualquer pessoa, pode-se tornar num exemplo no combate ao desperdício, mas também que o mesmo é algo que se encontra ao alcance de qualquer pessoa. No que toca, por exemplo às datas de validade, é realmente um dos maiores obstáculos no combate ao desperdício, sendo um tema ao qual já dedicamos artigos no blog, informação na aplicação, nas redes sociais e temos, por exemplo, um artigo em permanência dentro da aplicação, que fala sobre as datas de validade, explicando aos utilizadores, quais as diferenças entre elas e quais alimentos podemos afinal consumir após a data, ou não. É uma aposta muito forte na Phenix, a sensibilização e formação, não só dos nossos utilizadores, como também das empresas parceiras, que connosco combatem o desperdício. 
 
 
Como funciona a app? 

A principal funcionalidade da aplicação é, sem dúvida, a venda de excedentes diários de diversos comerciantes, sob a forma de cabazes que os utilizadores podem adquirir com descontos que começam nos 50% e podem chegar aos 70%, evitando assim o desperdício desses produtos. Outra grande característica da nossa aplicação reside no seu sistema de filtros, com o qual é possível ter visibilidade apenas sobre as lojas com cabazes disponíveis para compra, filtrar as ofertas por regime de alimentação (vegetariano, vegan, etc.) ou por tipo de alimentos (frutas e legumes, padaria, pastelaria, pronto a comer, etc.), facilitando a escolha. Temos também um sistema de alertas personalizados para as lojas favoritas dos nossos utilizadores (sempre que uma dessas lojas disponibiliza um cabaz, o utilizador recebe uma notificação no seu telefone). Acima de tudo a aplicação acaba por ser uma plataforma de conexão entre comerciantes que desejam combater o desperdício alimentar, criando cabazes de produtos com o seu excedente diário e o utilizador final que deseja combater o desperdício alimentar, e com isso ainda consegue poupar bastante dinheiro nas suas compras em alimentação de qualidade. O comerciante tem total controlo no tipo de cabazes criados, no preço definido, nos horários de disponibilização aos utilizadores, etc. O utilizador, após a compra e pagamento, dentro da própria aplicação, tem apenas de passar na loja, no horário proposto, para fazer o levantamento dos seus produtos. Em relação aos nossos ganhos, cobramos uma comissão de 1€ ou 20% por venda, consoante o cabaz tenha um PVP superior a 5€ ou não.  


Neste momento a Phenix app encontra-se disponível nas zonas da Grande Lisboa, Grande Porto, Aveiro, Braga e Guimarães e já temos planos de expansão para mais cidades em Portugal. De ressalvar que ao nível do serviço de conversão de excedentes em doações já temos presença em todo o território nacional. 
 

De que forma é que a app apresenta benefícios seja para quem adere como cliente ou para o estabelecimento que faz o serviço? 

Os benefícios são claros, tanto para os estabelecimentos que vendem os seus cabazes através da aplicação, como para os utilizadores que os compram. Para os estabelecimentos, estamos a falar de um modo simples e eficaz de rentabilizar os seus excedentes alimentares. Ao invés de perder todo o dinheiro investido na aquisição ou produção daquele bem de consumo, o comerciante pode colocá-lo à venda, na aplicação, definindo um preço justo, em que ainda lhe permita recuperar o dinheiro previamente investido e um pouco mais. Ao mesmo tempo, os estabelecimentos parceiros da nossa aplicação, acabam por estar também a fazer uma afirmação clara: estão do lado do combate ao desperdício alimentar, abraçam esta causa em compreendem a importância que este problema tem, para todos nós. Beneficiam ainda de uma exposição e alcance, através da presença na nossa aplicação, que acaba por funcionar como uma montra amplificadora, chegando a mais e novos clientes. De acordo com o último estudo que conduzimos aos nossos utilizadores, em novembro de 2021, 63% dos nossos utilizadores afirmam ter descoberto novas lojas através da utilização da Phenix app e 41% afirmam ter feito outras compras nas lojas em questão, para além dos cabazes comprados por intermédio da Phenix app. Para o utilizador os benefícios também são muito impactantes: aquisição de alimentos e refeições com descontos que podem chegar até aos 70%, criação de hábito e redução de desconfiança em relação ao combate ao desperdício e aquisição de excedentes alimentares sob a forma de cabazes alimentares, uma opção de combate ao desperdício alimentar com facilidade e aplicação imediata e acima de tudo o aumento da sensibilização para o tema do desperdício alimentar. 
 
Que novidades têm planeadas para um futuro próximo? 
 

A expansão da aplicação em Portugal, chegando a cada vez mais cidades e regiões, a criação de diversos eventos de sensibilização fora do digital e acima de tudo, o lançamento de novas soluções e serviços tecnológicos no combate ao desperdício, que vão permitir que todas as empresas se juntem a este desafio com maior facilidade. Numa era profundamente tecnológica, é nossa ambição implementar soluções tecnológicas que ajudem o nosso país a ser altamente eficiente na gestão do desperdício alimentar, e finalmente acabar com ele. O combate ao desperdício também pode e deve beneficiar das vantagens que a tecnologia traz. Essa é a nossa aposta e é sobre isso que queremos falar num futuro muito próximo. Espelho dessa vontade é a inclusão da Phenix no ranking Food Tech 500, no top 15 das empresas que produzem soluções inovadoras para o setor agroalimentar com base na tecnologia, deste ano. 
 

Mais informações em www.wearephenix.com/pt-pt

Edições do Gosto

Newsletter EG

Faça parte da comunidade gastronómica.

Junte-se à Comunidade Gastronómica EG

* obrigatorio