Peixoco

Nasceu no final de 2021, em Setúbal e o nome é o resultado da junção das palavras “peixe” e “choco” – produtos abundantes e de qualidade na oferta gastronómica de Setúbal. O projeto pertence ao casal Constance Bauer (chefe de cozinha) e André Lucas (sommelier). 

André e Constance conheceram-se em 2016 quando o primeiro frequentava o curso de Economia e Constance, natural de Paris, estava de visita a Portugal para aprender a língua. Em tempos de pandemia e após trabalhar em restaurantes como o Pesca e o Tapisco em Lisboa, decidiram junhos realizar o sonho de abrir um restaurante. Encantaram-se por Setúbal e acabaram por abrir um espaço onde a aposta é feita “em receitas tradicionalmente portuguesas, com um toque de modernidade, e num serviço de qualidade”. 

A carta elaborada pela chefe Constance é focada no produto sazonal e divide-se entre Petiscos, de que são exemplos os croquetes de choco, os mexilhões com manteiga de chouriço e as tostas de carapau; Pratos Principais como o arroz de choco com tinta, o choco frito à Peixoco e a salsicha de peixe; e Sobremesas, como o pudim da Nani e a tarte de limão.  

Apesar de este ser um espaço maioritariamente dedicado ao peixe, há duas opções de carne: o bife da vazia dos Açores e o pica-pau da vazia. 

Nas bebidas, especialidade de André, há opções variadas entre cervejas, cocktails – como o vermute da casa – e vinhos portugueses (incluindo opções de rótulos naturais e biodinâmicos). 

Para melhor conhecer as propostas gastronómicas do Peixoco, André Lucas e Constance Baur escolheram dois pratos a não perder.  

Arroz de Choco com Tinta 

“É um prato que envolve Setúbal por ser confecionado com choco, mas também envolve reaproveitamento. Quando abrimos o restaurante, sabíamos que íamos ter de fazer choco frito, e, por questões ambientais, apostámos em aproveitar o máximo possível de todos os elementos que servimos. Assim nasceu o Arroz de Choco, através da utilização das aparas de choco, que normalmente não são utilizadas no choco frito. Para além disso, eu adoro arroz negro. Essa foi uma razão forte para estar na carta.” 

Salsicha de Peixe  

“Entra no conceito com o mesmo propósito: a reutilização. A salsicha é feita com peixes que sobram na montra e com restos de carapau, que utilizamos noutros pratos, como a tosta de carapau. É um prato que serve para relembrar as típicas salsichas francesas (o país de origem da Constance) mas com um twist. A salsicha é servida sobre um puré de batata-doce da Comporta, manteiga noisette e plantas halófitas do Rio Sado.” 

Mais informações aqui www.peixoco.com. 

Fotos: Tiago de Paulo Carvalho 

Edições do Gosto

Newsletter EG

Faça parte da comunidade gastronómica.

Junte-se à Comunidade Gastronómica EG

* obrigatorio